Palestra Lúcia Castello Branco – Quem me Chama?

10 de abril de 2010


Inspiração. Segundo o dicionário, essas dez letras juntas representam as idéias e sentimentos espontaneamente nascidos no espírito do homem. Essa é, sem dúvida, a grande fonte dos escritores, a inspiração que vem das pequenas coisas do cotidiano.

É sobre criação, inspiração e estilo literário que o projeto Estação Pátio Savassi de abril irá focar. Com o tema “O que te conecta à escrita”, o ciclo de palestra abordará a literatura na contemporaneidade.

No primeiro encontro, neste sábado, 10 de abril, a partir de 11h, no anfiteatro (L2) do Pátio Savassi (Av. do Contorno, 6061 Savassi), a Doutora em Literatura, escritora e psicanalista, Lúcia Castello Branco, convida o público a refletir sobre o tema “Quem me Chama?”. Neste contexto, ela abordará a escrita de Maria Gabriela Llansol e Manoel de Barros, destacando nas obras, a partir do olhar particular da psicanalista e leitora, o estilo destes autores.

Tanto Maria Gabriela Llansol quanto Manoel de Barros são grandes autores da contemporaneidade. Cada um com seu estilo e inspirações distintas, chamam a atenção da crítica especializada e de leitores, instigando-os a entrarem em seus universos, conectando-os à escrita.

Maria Gabriela Llansol é uma escritora portuguesa com ascendência espanhola, nascida em 1931, em Lisboa. Considerada uma autora cuja escrita de difícil entendimento para o leitor comum é, no entanto, apontada por muitos como um dos nomes mais inovadores e importantes da ficção portuguesa. Segundo Lúcia, a fonte de inspiração da autora portuguesa era a subjetividade e as meditações que fazia sobre as coisas a sua volta.

Já Manoel de Barros, nascido em Cuiabá (MT) é um dos principais poetas contemporâneos do Brasil. Sua grande fonte de inspiração é a natureza, principalmente, o Pantanal. Sendo considerado por muitos, ‘o poeta do Pantanal’ ou ‘o poeta pantaneiro’. Um poeta maior que fala para crianças e adultos, tem 24 livros publicados e é considerado um dos mais originais da língua portuguesa do século XX. Entre os vários prêmios que recebeu estão dois Jabutis – um pelo O guardador de águas e outro por O fazedor de amanhacer.

Lúcia Castello Branco

Doutora em Literatura Comparada e Mestre em Literatura Luso-Brasileira pela Universidade de Indiana (USA). É psicanalista e professora titular em Estudos Literários da Faculdade de Letras da UFMG. Autora de diversos livros de ensaios no campo da Literatura e Psicanálise, e ainda de romances, novelas, livros de contos e literatura infanto-juvenil. É responsável pela direção de uma série de documentários sobre a relação singular de alguns sujeitos com a escrita, dentro da Coleção Amor Ímpar, da Editora UFMG.

Estação Pátio Savassi

O projeto é uma realização da Estação do Saber e do Shopping Pátio Savassi, com curadoria de Júlia Ramalho Pinto. Em seu quinto ano de existência, conta com patrocínio da CEMIG, Governo do Estado de Minas Gerais, Governo Federal, Ministério da Cultura e Lei Rouanet. As palestras são sempre aos sábados e gratuitas, onde se discutem temas contemporâneos com a participação de intelectuais, escritores e profissionais renomados, numa agradável conversa nas manhãs de sábado.

As palestras poderão ser acompanhadas através do Twitter (Julia Ramalho Pinto www.twitter.com/arpjulia) com postagem de frases e comentários ao vivo das apresentações. Ainda em fase de teste, o evento está sendo transmitido via Ustream na página da Estação do Saber www.estacaodosaber.art.br.

Deixe um comentário