Palestra Anand Rao – Como se encontram música e letra?

15 de maio de 2010

Através de letras e melodias muitas pessoas expressam seus sentimentos e desejos, nas mãos  dos artistas, tudo se transforma em sons e rabiscos, que depois viram composições. Desta forma, nascem as músicas que encantam, emocionam, estimulam e marcam gerações. Quem não se lembra da época das manifestações pelo movimento ‘Diretas Já’ ao ouvir a música ‘Coração de estudante’, composta por Wagner Tiso e Milton Nascimento? Ou ainda reviver os bons momentos da Copa do Mundo de 70 ao som de “Pra frente Brasil”, de Miguel Gustavo?

Nesse clima de musicalidade e poesia o projeto Estação Pátio Savassi convidou o jornalista, escritor e músico, Anand Rao, para um bate-papo sobre “Como se encontram música e letra?”. O evento será neste sábado, 15 de maio, a partir das 11h, no anfiteatro (L2) do Pátio Savassi (Av. do Contorno, 6061 Savassi). Entrada franca.

Segundo o artista, todas as pessoas são naturalmente compositoras e ele vai provar isso no encontro. Além de falar sobre o processo de musicalização de textos e apresentar músicas que se eternizaram e foram compostas na hora, Anand também vai transformar em música textos e falas do público. “Todos sairão de lá compositores”, completa o músico.

Sobre Anand Rao

Músico, poeta e jornalista, radicado em Brasília (DF). Com inúmeras composições, quatro CDs lançados, mais de 65 peças musicadas e 20 livros de poesias publicados.

Estação Pátio Savassi

O projeto é uma realização da Estação do Saber e do Shopping Pátio Savassi, com curadoria de Júlia Ramalho Pinto. Em seu quinto ano de existência, conta com patrocínio da CEMIG, Governo do Estado de Minas Gerais, Governo Federal, Ministério da Cultura e Lei Rouanet. As palestras são sempre aos sábados e gratuitas, onde se discutem temas contemporâneos com a participação de intelectuais, escritores e profissionais renomados, numa agradável conversa nas manhãs de sábado.

As palestras poderão ser acompanhadas através do Twitter (Julia Ramalho Pinto www.twitter.com/arpjulia) com postagem de frases e comentários ao vivo das apresentações. Ainda em fase de teste, o evento está sendo transmitido via Ustream na página da Estação do Saber www.estacaodosaber.art.br.

4 comentários

  1. Carla Barbosa disse:

    Foi importante a retomada de Jakobson na discussão. Vale lembrar que:

    Jakobson não separa som, sentido e percepção. A materialidade fônica da língua é compreendida justamente como possibilidade da poesia. Mas a imbricação de som e sentido no sistema linguístico é provocada pela movência dos significantes (homofonias, ambiguidades), ou seja, aponta para a incompletude constitutiva da linguagem.

  2. Carla Barbosa disse:

    Anand Rao: “coloco o meu coração no som”
    Jakobson: um é material (som) e outro é aspecto espiritual ( sentido)

  3. Carla Barbosa disse:

    “A palavra é tensa” (Anand) – Será que são os sentidos que estão em disputa? Aí, então, a questão do infinitas possibilidades de composição?

  4. Agnes disse:

    A composição,inspiração vem da alma do Poeta que é tão sensivel e encantador !

Deixe um comentário