Por que ver Vik?

21 de agosto de 2009

Não respondo aqui como uma crítica de arte, não me proponho a isto. Não creio ter competência, nem formação para tal empreitada. Mas me proponho a falar do que me toca imensamente.
O que mais me chama a atenção na exposição de Vik Muniz é o movimento que ele provoca. Com seu olhar e sua técnica ele permite que o Estranho se instale. Freud chamou de estranhamento esta sensação de dentro-e-fora, essa percepção de algo como distante, mas que nos toca intimamente. É isto que a Arte, com A maiúsculo, faz. Ela nos permite sentir e ver a vida de um novo ângulo, ela é assim, uma abertura de nós mesmos para o mundo.
Em “Vik” há uma transversalidade de temas e materiais: do lixo ao luxo, da jujuba ao Viagra, do menino pobre à celebridade, etc. Não basta ver as imagens, é preciso sentir o impacto de suas cores, luzes e sombras. É preciso, também, refletir: de que é feita a celebridade? De que é feito o menino pobre? E nosso mundo narcísico, o que produz? Várias leituras são possíveis, mas a genialidade do artista se expressa nos detalhes, no jogo de luz e sombra, na escolha dos materiais e em tudo aquilo que ele revela e esconde.
Muito do que tenho visto da arte contemporânea, nominada de arte conceito, é o excesso, é a prevalência do pensamento. Paramos diante da obra e ficamos a pensar, pensar e pensar, sem nos sentirmos tocados nas emoções. Mas Vik é um artista de seu tempo, trabalha com conteúdos do mundo contemporâneo, e faz emergir a emoção- e-conceito, o perto-e-longe, a crítica-e-elogio. Nesse movimento, o artista nos convida de uma forma leve, brincando com seus materiais, a vermos um pouco mais além. Porque ver “VIK”? Porque é arrebatador!

*Psicóloga (psicanalista) e administradora, mestre em administração, professora universitária em cursos de graduação e pós graduação, consultora e sócia-diretora da Estação do Saber.

EXPOSIÇÃO: de 21 de agosto a 02 de novembro de 2009

Horário de visitação:
Terça, quarta e sexta 10:00 às 19:00
Quinta 12:00 às 21:00
Sábado 10:00 às 19:00

Ingresso:
Inteira – R$ 10,00
Estudantes – R$ 5,00
Meia entrada destina-se a estudantes identificados
Menores de 10 anos e maiores de 60 anos – Gratuito

Visitas guiadas para grupos escolares:
Agendar com Danielle Claudino,
de segunda a sexta de 14:00 às 17:00 no telefone (31) 3213 4320

Local: Museu Inimá de Paula
Endereço: Rua da Bahia, 1201, Centro – Belo Horizonte/MG
Telefone: (31) 3213 4320
Site: www.inima.org.br

Classificação etária: livre
Acesso a deficientes e terceira idade

Catálogo da exposição: R$ 70,00 (à venda no museu Inimá de Paula)

CONTATO NO MUSEU INIMÁ DE PAULA
Júlio Martins – Curador Geral do Museu
Telefone: (31) 3213 4320

Fonte: Júlia Andrade Ramalho Pinto*

Deixe um comentário