Lançamento livro “Educação, ética na obra infantil de Monteiro Lobato

20 de setembro de 2010

Educação, ética e estética na obra infantil de Monteiro Lobato

Dia 25 de setembro de 2010, de 11 às 13 horas

Local: Café com Letras (rua Antônio de Albuquerque, 781 Savassi)

Informações: (31) 3225-9973

RELEASE

A gênese da obra infantil de Monteiro Lobato coincide com um dos momentos mais profícuos dos debates educacionais realizados no Brasil: a década de 1920. Esses debates culminaram num audacioso projeto que foi responsável por uma mudança radical nos rumos da educação brasileira.

Identificando-se com os ideais da Escola Nova – propostos por Anísio Teixeira, Fernando de Azevedo e Lourenço Filho e Cecília Meireles –, Monteiro Lobato desenvolve sua literatura em consonância com tais princípios, inscrevendo sua obra num modelo pedagógico revolucionário, introdutor de metodologias que abririam espaço para uma nova práxis educativa no país.

Devido à riqueza de seu conteúdo literário-pedagógico, que se desdobra de maneira reticular e transversal, o Sítio do Picapau Amarelo apresenta-se como uma obra aberta ao diálogo entre as mais variadas áreas do conhecimento, articulando-se, inclusive, com as modernas teorias de rede, propostas por autores como Pierre Lévy, Gilles Deleuze, Félix Guattari e Italo Calvino, dentre outros.

Nesse contexto em que a reflexão sobre as novas tecnologias da inteligência e as teorias de rede articula distintas possibilidades de leitura, pensamento e produção de saberes, é possível efetuar uma leitura da obra infantil de Monteiro Lobato sob outros prismas, detectando na mesma recursos não identificados antes do surgimento do computador e do ambiente digital.

Esse é, portanto, nosso principal objetivo com este livro: construir uma leitura do Sítio do Picapau Amarelo à luz dessa nova perspectiva. Esperamos que as questões levantadas nos diversos textos que o compõem contribuam para promover encontros e discussões em espaços educativos formais e informais, abrindo caminhos para a elaboração de metodologias de leitura compatíveis com o avanço das ciências humanas, sociais e tecnológicas contemporâneas.

* * *

Como um fractal, os artigos reunidos nesta obra, apesar de aparentemente desconectados, apresentam um padrão que nos leva a reconhecê-los como partes integrantes de um todo, revelando, em sua metamorfose, a essência da pedagogia ético-estética que permeia a obra infantil de Monteiro Lobato.

Nessa trajetória de leitura, artigo após artigo, à luz das teorias textuais contemporâneas e das tecnologias da inteligência, é que vamos, aos poucos, nos dando conta do tesouro inesgotável dos recursos literários e pedagógicos contidos no Sítio do Picapau Amarelo, os quais, ainda hoje, não são reconhecidos pelas escolas brasileiras, uma vez que, no passado, foram negados e abafados pela voz do autoritarismo e da censura.

Deixe um comentário