II Colóquio Internacional do Núcleo Walter Benjamin

7 de outubro de 2010

Rastro e aura são, à maneira tipicamente benjaminiana, conceitos-imagem complexos, próximos e distantes entre si, com diferentes conotações conforme o texto e as condições de leitura.

Contudo, enquanto o termo aura é mantido no original em latim, Spuren recebeu várias traduções: rastros, traços, vestígios, pegadas, esteira, pista, resquícios, sinais, trilha, testemunho.

Há motivos para tal discrepância? Por que o termo Spuren recebeu, por parte da crítica benjaminiana, menos atenção do que o termo aura? No pensamento de Walter Benjamin e na literatura contemporânea, qual o papel e a produtividade desses dois termos e de suas oscilações?

Desenvolver essas questões é o nosso objetivo.

17, 18 e 19 de novembro de 2010

Auditório 1007 da Faculdade de Letras da UFMG

Mais informações: www.letras.ufmg.br/spuren

Deixe um comentário