Dia de Shakespeare tem apresentação gratuita no Santa Tereza

25 de abril de 2008

Como parte de suas atividades, o CESh (Centro de Estudos Shakeseareanos) vem apresentando, sempre no dia de sua fundação – que coincide com a data do atestado de óbito do dramaturgo – o “Dia de Shakespeare”. Este evento busca resgatar as raízes shakespearianas no que elas têm de simultaneamente popular e erudito, oferecendo cenas, às vezes intercaladas com audições musicais, a um público heterogêneo que, como costuma acontecer com apresentações desta obra, sempre acaba enamorado da mesma. Este ano será apresentado no Skaldos (Pça Duque de Caxias, 39 – Sta Tereza), sábado, 26 de abril, às 19h30. A direção das cenas está a cargo de Marcos Vogel e conta com Cecília Bizzoto e Geraldo Peninha no elenco.

É costume, neste evento, a apresentação de cenas que demonstrem a diversidade humana retratada – e “auscultada” por Shakespeare, numa tentativa de levar ao público uma idéia, ainda que em pequenas proporções, da grandeza do dramaturgo encontrada nas mais variadas facetas dessa diversidade. As cenas escolhidas para este ano, centram-se em dois aspectos do homem: a loucura e o prazer do mal. No primeiro caso, teremos dois momentos inesquecíveis, cuja expressão extrema se reveste de intensa carga emocional, por trabalhar a dor do amor não correspondido e da ingratidão de filhas, em Rei Lear, e do abandono de uma ingênua e reprimida jovem, Ofélia, em Hamlet. No segundo aspecto, serão vistos momentos de dois dos maiores “homens maquiavélicos” da dramaturgia universal: Iago, de Otelo, e Gloucester, mais tarde Ricardo III, em Ricardo III.

Numa simbiose cômica – que representa a justaposição freqüentemente feita por Shakespeare da loucura em diferentes facetas, e de um inusitado prazer no combate, característicos do ser humano – será vista a cena do encontro de Petrucchio e Catarina, em A Megera Domada. Tal cena, rica em riqueza dramática, nos leva a reconhecer na “loucura da retórica” o enorme potencial da linguagem e da performance para a conquista de alvos nem sempre exteriormente desvelados.

O CESh

Diante da importância que Shakespeare representa não só para o teatro e a literatura, mas para as artes em geral, e para as mais diversas áreas que dele fazem uso, estudiosos brasileiros de sua obra criaram, em 1992, o Centro de Estudos Shakespeareanos (CESh), associação nacional sem fins lucrativos sediada em Belo Horizonte. O CESh tem por finalidade apoiar pesquisas e incentivar produções shakespeariana, oferecer cursos por especialistas na área, dar assistência a grupos teatrais que queiram montar peças de Shakespeare com o necessário e indispensável preparo da obra a ser encenada, e disseminar um conhecimento ao mesmo tempo sólido e agradável dos textos do dramaturgo, através de publicações, em seu selo CESh/Tessitura, de traduções críticas das peças e de estudos de pesquisadores nacionais e internacionais sobre esta obra.

Fonte: CESh

Deixe um comentário